Percurso da Trilha Amazônia Atlântica

Detalhes do Percurso

A Trilha Amazônia Atlântica estende-se desde a comunidade do Tayassui, no município de Benevides, na Região Metropolitana de Belém até a Serra do Piriá, em Viseu, município limítrofe com o estado do Maranhão. Integrando um total de 14 municípios em seu percurso.

A Trilha percorre municípios da Região Metropolitana de Belém, onde o visitante pode conhecer as florestas de terra firme e seus igarapés de água bem gelada em meio ás florestas alagadas preservadas, indo em direção aos campos naturais Bragantinos por meio de ramais e trilhas até o município de Bragança.

E nesse caminho, mais especificamente nos municípios de Tracuateua e Bragança, o visitante pode vislumbrar as incríveis paisagens que remontam as mais belas cenas do Marajó ou do pantanal. Num cenário que conta com o protagonismo dos búfalos e revoadas de Guarás e marrecas no campo alagado.

A partir de Bragança, a Trilha segue por Augusto Corrêa até o município de Viseu, onde quem percorre a Trilha pode conhecer áreas preservadas da maior faixa de manguezal contínua do planeta. Nessa região, é possível saborear aquela boa caranguejada e o famoso avoado (assado de peixe na fogueira na praia), que aqui pode ser de peixe ou esmo de ostras. Frutos do mar são capturados na hora proporcionando experiências inesquecíveis para o usuário da Trilha.

Por fim, na outra extremidade da trilha, a Serra do Piriá é uma elevação em meio à uma grande planície, oferecendo mirante incrível para o visitante. Nela é possível vislumbrar a paisagem única do encontro da Floresta Amazônica com Oceano Atlântico, cavernas e uma cultura vibrante do povo da região.

Ao longo do percurso é possível pernoitar e ter grandes experiências junto às comunidades rurais e tradicionais, com destaque para as comunidades remanescentes de quilombolas ao logo do território.

O percurso pode ser feito saindo da Serra do Piriá em direção à Benevides, para isso a sinalização está sendo realizada em ambos sentidos. Onde as pegadas amarelas com fundo preto orientam os trilheiros no Benevides-Serra do Piriá a pegada preta com fundo amarelo orientam que vai da Serra do Piriá em direção à Benevides.

A Trilha Amazônia Atlântica tem uma série de paisagens e terrenos distintos que visam melhorar a experiência de quem percorre a Trilha. Florestas, campos naturais, manguezais e a própria Serra do Piriá compõem o leque de paisagens ao longo da trilha.

A Trilha sinalizada e com informações disponíveis neste site proporciona que as pessoas percorram a trilha com planejamento prévio. O trajeto pode ser percorrido de uma só vez, em alguns dias, ou em trechos a cada final de semana. O usuário tem total liberdade para definir o período e a distância, de acordo com sua disponibilidade e disposição física.

Aproveitamos a oportunidade para destacar que quem mais aproveita a Trilha dificilmente é quem chega mais rápido. Vale aproveitar cada experiência ao longo da trilha, curtindo cada momento ao lado de seus amigos.

E lembre-se:

Toda atividade ao ar livre apresenta riscos. Você é responsável pela sua integridade física. Tome todas as medidas de prevenção de acidentes e aproveite bem sua aventura.
Água gelada, alguma comida, proteção contra o sol e equipamentos adequados e revisados são itens que requerem atenção. Além disso, nunca vá sozinho para Trilha!

Planeje bem sua atividade e aproveite cada segundo de sua aventura! A Trilha Amazônia Atlântica conecta paisagens e pessoas!

Tamanho do Percurso

Acesso à Trilha

Pra quem sai de Belém: é possível chegar ao início da Trilha, na comunidade Maravilha, acessando a BR 316 até o município de Benevides. Em Benevides, o visitante deve ir pelo Ramal do Taiassuí, até a Comunidade Maravilha.

Todo o percurso até a comunidade é asfaltado. É possível chegar de carro de passeio, de ônibus ou mesmo de bicicleta. Acesso muito fácil.

Ponto de início da Trilha

Rota do Guarumã

Pra quem sai de Belém, outra forma possível, qual recomendamos, é chegar ao início da trilha percorrendo a Rota do Guarumã. Iniciando a sua pedalada ou caminhada no Parque Estadual do Utinga, em Belém.

A Rota do Guarumã tem aproximadamente 30 km de extensão e está localizada dentro das unidades de conservação geridas pelo Ideflor-bio. Autarquia estadual que administra as Unidades de Conservação Estaduais do Pará.

Importante lembrar que a Trilha Amazônia Atlantica, assim como a Rota do Guarumã são Trilhas de Longo Curso integradas à Rede Brasileira de Trilhas. Essa conexão é uma importante contribuição na construção da trilha Nacional Oiapoque ao Chuí, que deve conectar o litoral brasileiro de norte a sul, por mais de 10 mil km de Trilha.

Recomendamos entrar em contato com a Ideflor-bio para saber mais sobre a Rota do Guarumã. Iniciando a pedalada por dentro do Parque Estadual do Utinga, numa trilha que percorre a APA Metropolitana de Belém e o Refúgio de Vida Silvestre Metrópole da Amazônia, conhecida comumente como ´Fazenda da Pirelli’.